Las Vegas em vídeo

faz um tempãozão que fiz os vídeos abaixo - a viagem é de um ano atrás, quando fui pela segunda vez para Los Angeles e para Las Vegas (a primeira parte a trabalho, a segunda para descansar no fim de semana). esqueci de postá-los aqui na época, então, antes de começar a falar da viagem das últimas férias, vou deixar eles aqui ;)

Ah: assista em Full HD :D

meses depois…

vira e mexe eu me pego fuçando as fotos da viagem e me DÓI o coração! <3

até los angeles, que eu não curti, hoje não me parece tão ruim. mas o que realmente me dói de saudade é nova york. e agora vou falar de um jeito muitíssimo gay, então vcs podem parar de ler, se quiserem.

é que parei pra pensar e, bom, eu já morei em 4 cidades no brasil. em nenhumas delas eu me senti tão em casa como em nova york. lá, foi de cara; quer dizer, depois que passou o desespero inicial, o susto, foi tudo muito natural, como se eu já estivesse lá há muito tempo. quando fui para san francisco, foi com muita resistência, porque eu não queria deixar NY. e, quando voltei para o brasil, só pensava em como estava indo para um lugar que não era mais o meu lar. a sensação era que estava vindo visitar a família e logo iria voltar para NY.

não sei explicar o porquê, mas acho que, talvez, por tudo que a cidade representou pra mim. foi minha primeira vez fora do país, com uma grana que eu mesma tinha guardado, planejado, sofrido… senti como se eu realmente tivesse controle de tudo.

uma amiga me perguntou o porquê de eu sentir tanta falta; eu respondi que talvez seja porque, lá, eu tinha a chance de começar tudo de novo. se você parar pra pensar, é meio injusto como a gente demora décadas pra pensar em quem quer ser e, quando decide, já tem muita vida pra trás e isso tudo te impede. lá, eu não tinha nada. ninguém me conhecia nem sabia nada sobre mim. aqui, eu tenho medo de tudo, não falo com ninguém, odeio sair de casa; lá, eu saía nem que fosse só para andar no metrô, conversava com qualquer um que me olhasse, não tinha medo de nada. eu realmente me sentia em casa. ao contrário desta cidade hostil, desse país hostil, no qual você tem que viver sozinho e fazer o que é esperado de você.

e eu estou só tentando falar das minhas impressões. meu deus, como é difícil explicar o que eu sentia lá e o que sinto aqui. mas também tem toda a questão de trabalho, por exemplo. uma babá ganha o mesmo que eu ganho como jornalista, sendo que tudo lá é mais barato - menos o aluguel, ele é mais caro. mas dá para ter mais de um emprego e ganhar o dobro do que ganho aqui. e também tem as tips - garçom na times square ganha tipo NOVE MIL DÓLARES, juntando com tips.

enfim… só queria registrar aqui que essa coisa de trabalhar muito, ganhar pouco e gastar muito pra tudo não é o que eu quero pra minha vida. e vc tbm não deveria querer.

depois que voltei de viagem e percebi que tudo pode ser muito mais fácil, estou contando os dias para poder ir embora do país de vez.

hostels nos eua

faz tempo que eu não escrevo aqui e ainda tem um monte de coisa que eu queria registrar! vou tentar lembrar com mais frequência…

hoje, vou falar sobre os hostels que fiquei hospedada nos eua. como de costume, vou escrever correndo e abreviado. haha


san francisco - san francisco international hostel
foi o primeiro hostel que eu fiquei, então rolou toda aquela apreensão de “e se for uma merda”, mas é um hostel sensacional. ele fica num prédio enorme de 5 ou 6 andares que tinha sido um hotel, então tem toda a estrutura.
fiquei num dormitório com outras 3 meninas (nem vou comentar que tem que ter paciência pra ser acordada com cheiro de spray de cabelo e duas meninas tagarelando em alemão porque isso está implícito em “dormitório”). o quarto não é muito grande, mas o colchão é muito confortável, melhor que o da minha casa. o banheiro é compartilhado e limpinho. pra fazer xixi, tem os restrooms, que são quartinhos minúsculos com uma privada haha então se estiver fazendo o número 2 e alguém bater na porta, vc já sabe que, ao sair, alguém saberá que vc cagou ali.
mas, né, grandes coisa.
o mais legal DE LONGE é que toda noite rola festa com cerveja de graça e beer pong (o de LA também tem beer pong). tem dias que tbm tem vodka absolut. dá pra ficar BEM TRESLOUCADO. eu não fiz isso (ok, só um dia HAHA) pq sempre acordava cedo e andava o dia todo e tal.

<3 essas latinhas de budweiser estreladas!

eles não dão café da manhã, mas tem uma mistura pra fazer panquecas que é free.  na verdade, todo hostel que eu fiquei tinha isso e era bom pra quem como eu viajava com 10 dólares pra gastar por dia haha porque vc enchia o bucho de panqueca às 8h e só ia ter fome de novo umas 3 da tarde.

mas teve um dia em las vegas que eu juro que daria um tiro em quem me oferecesse panqueca, porque o negócio passa loooonge de ser mais gostoso que um pão na chapa. e aquele maple syrup então, BLÉ, é muito ruim. 
esse hostel deve ser o melhor localizado de san francisco: fica a 2 quarteiroes da market, que é uma avenida famosona lá onde passam quase todas as linhas de ônibus/cable car. tbm fica perto de um dos pontos do cable car histórico.
obs: em san francisco dá TRANQUILAMENTE pra andar só de transporte público! a malha é excelente. vc compra um MUNI pass e usa à vonts em todos os carros. perto desse hostel tem um ponto de venda e o para 7 dias custa uns 20 dólares.

los angeles - hollywood youth hostel

eles criam toda a expectativa de party hostel, mas não vá esperando isso… eu fiquei umas 5 noites (ERRO TERRÍVEL FICAR 5 NOITES EM LOS ANGELES, não tem oq fazer na cidade! 4 já é muito, acho que 3 tá de ótimo tamanho) e teve free beer e party só em duas. eles tbm fazem uma movie night que é um saco, pq vc não pode ficar batendo papo na área comum pq atrapalha o filme! :/
não é um lugar tão limpinho, as camas não são superconfortáveis (mas não tive problemas com dormir mal) e o banheiro é compartilhado e mais ou menos limpo. e prepare-se pra carregar mala imensa escadaria acima, porque não tem elevador.
o pessoal que trabalha lá é legal, mas eles não fazem muita questão de puxar papo com você… na vdd, em los angeles eu não conheci ninguém… os hóspedes tbm não eram muito amigáveis. só conheci uma suíça, a daniela, mas acabamos nem trocando contato :/
um dos funcionários me xavecou uma noite e foi mega awkward, mas não vou entrar em detalhes haha
a melhor coisa e que vale o preço: a localização é absurdamente perfeita! fica na hollywood blvd, quase na altura do kodak theatre e bem em frente ao metrô hollywood/highland. tem ponto de onibus ali também, então dá pra chegar em e de qualquer lugar facinho.

olha a vista da salinha dos computadores:

ah, eles tbm têm panquecas de graça toda manhã. eles mesmos fazem e vc podem escolher enter uns 4 tipos de coberturas NHAMMMM as gordinha se esbalda!

las vegas - hostel cat

se é anormal o tanto que eu gostei de vegas, também é o tanto que eu gostei desse hostel. fiquei acho que 4 noites e foi pouco.
ele não é super bem localizado - fica em downtown las vegas, que é depois do stratosphere (sendo que o stratosphere é o fim da strip). mas o stratosphere fica a menos de 10min andando devagar do hostel, então ok. passa ônibus para a strip na frente do hostel e para voltar, o ônibus para bem atrás, é bem tranquilo (custa acho que 20 reais para andar 5 dias à vontade em qualquer onibus em las vegas, mas vc provavelmente nao vai andar em outro que não seja o deuce. aliás, é double decker e tem ar condicionado!). o hostel também fica a uns 10min andando da fremont street.
ao contrário dos outros, ele não é um prédio: é tipo um pátio com várias suítes.

 

eles também têm panqueca free toda manhã (mas não pode cozinhar depois das 21h :PPPPPPP), wifi grátis nas áreas comuns (pega mal nos quartos), o staff é SENSACIONALMENTE LEGAL e tem uns passeios bem em conta toda noite para encher a cara e fazer besteira haha! o mais legal é de sábado (claro que eu fui embora no sábado de manhã e não vi hurr durr pqp vc giovana), que é uma balada de limousine hahaha massa né?
eu adorei esse hostel por causa da atmosfera. todo mundo lá é bem sussa e disposto a fazer novos amigos - isso inclusive tá nos “mandamentos” do hostel escritos na parede: eles incentivam a desligar o celular e bater um papo. eu aprendi muita coisa sobre muitos lugares batendo papo enquanto o sol se punha - e, cara, o por do sol em vegas é INCRIVEL mesmo que vc esteja no chão haha! nao tem prédios perto do hostel nem nuvens no céu, então vc consegue ver o céu inteiro sentada na mesinha enquanto toma uma cerveja e troca uma ideia com o pessoal.
ah, não perca a chave do quarto, eles cobram 10 dólares a não ser que você dê uns pega no cara da recepção. foi uma amiga que contou. rs

volto em breve pra falar do must-do/must-see de cada lugar… e aí acho que acabou :)

sobre americanos e latinos

eu não sofri nenhum tipo de preconceito por ser latina. acho que é porque eu não tenho cara de latina e falo inglês bem - se bem que eu fui ruiva, porque um cara do hostel viu foto minha morena e falou que, morena, eu fico com muita cara de latina.

e, caso você não saiba, brasileira = latina sim, então se você é brasileira, pode se preparar pra abraçar sua latinidade quando sair daqui. sem preconceito, sem ódio com os hermanos!

pois bem. vou descrever dois cenários: um quanto à língua e outro quanto a, ahm, “personalidade”.

quando eu falava que era brasileira, 90% dos americanos falavam “hola, que tal?” pra eu responder “ahnnn isso é espanhol, eu falo português” e eles retrucarem um “but it’s the same, right?” NO IT’S NOT THE SAME AND I CAN’T UNDERSTAND A WORD OF IT. uns 2% (todos comissários de bordo) respondiam “oi, tudo bem?” e os outros não sabiam nem um nem outro, mas a maioria deles fazia parte dos 97,295% que, ao ouvirem “i’m from brazil”, passavam a falar manso e diziam algo do tipo “oh, really? brazilian??”.

quanto à “personalidade”, que eu coloquei entre aspas pra você continuar lendo porque na verdade não tem nada a ver com personalidade, prepare-se para virar uma deusa nos eua: não sei se é porque brasileira tem fama de ser fácil e os caras tentam agradar, ou se é porque a maioria das americanas ou é muito pequenininha e magrinha ou é muito gorda, mas, no geral, eles vão te achar a mina mais linda e gostosa do mundo. você vai ouvir todo mundo falando das suas curvas e cruzar os braços por cima dos peitos pra ver se eles voltam a falar com você olhando pra sua cara.

(eu não to me achando glr, conheci mais brasileiros na estrada e todos confirmaram minha teoria. auto estima em baixa? vai pros eua!)

e eles tbm vão falar que você não é latina, porque latino é quem fala espanhol, e cabe a vc levar um pouco de cultura e explicar que você é latina sim, e, teoricamente, franceses, italianos e espanhóis, também. mas você é o que os americanos chamam de latinos, que é o povo latino-americano, ou seja, habitantes do continente americano que falam algum idioma latino.

vou deixar o link da gloria falando pro jay que ela nao entende o que a empregada portuguesa fala, porque é basicamente isso q vc vai viver por lá (1:30 - 1:50)

http://streamfullepisodes.com/modern-family-1-episode-24-family-portrait.html

músicas da viagem

as músicas que eu ouvi umas 2939283 vezes nos eua:

da primeira vez que ouvi, pensei OMG VOLTEI NO TEMPO BACKSTREET BOYS???? eu sei que o 1D foi descoberto pelo simon cowell, acho que no x-factor, e são the next big thing. já amo só por tirarem o foco do justin bieber. mas a música é legal mesmo hahaha

descobri só agora que é de uma boy band essa merda. EU ODEIO ESSA MÚSICA! ela é muito ridícula haha que tipo de cara paga uma bebida pra mina e fala “drink it if you can”??? bbk bbk bbk bbk

eu já nem amo kelly clarkson, aí ela toca o tempo todo! fiquei feliz de ouvir ela na rádio principalmente depois das flopadas fenomenais dos ultimos CDs, mas o mais recente é fenomenal <3 não mais que my december mas ENFIM! e uma menção honrosa pra A MOMENT LIKE THIS (!!!) tocando qdo eu estava no pier de santa monica SOME PEOPLE WAIT A LIFETIME

não BOMBOU, mas ouvi algumas vezes e me surpreendi pq no brasil o pessoal mal conhece jessie j, então achei que só eu NO MUNDO conhecesse hahaha #hipster

essa eu lembro de ter ouvido várias vezes, mas a que marcou foi qdo eu tava numa loja de souvenir em ny e ela começou… daí eu tava no fundo da loja, sozinha, e comecei a cantar e interpretar pq sou assim, espontânea, maluca, complicada e perfeitinha.

essa música tocava bastante na rádio em las vegas! oO estranho, né? não to sendo irônica hahaha eu não esperava que waking up in vegas tocasse na rádio em qualquer lugar em 2012…

é de 2009??? como assim??? tocava O TEMPO TODO em los angeles, eu achava que tinha sido lançada naquela semana…

essas são as que eu lembro agora, tinha mais uma que eu queria colocar mas não lembro como era :/só sei que era aquele tipo de música que quando toca vc começa a balançar a cabeça junto HAHA algum dia eu vou ouvir de novo e venho dar o update :)

UPDATE: lembrei! acordei com ela na cabeça hoje, olha que mágico:

nossa, essa música lembra MUITO os finais de tarde sentada no “quintal” do hostel vendo o sol se pôr em las vegas. como disse um dos caras que trabalhavam lá, “eu gostava dessa música nas primeiras mil vezes que ouvi” hahaha EU QUERO VOLTARRRRRR :(

não é virus.

Passando pelas fotos da viagem, lembrei de quando começou essa minha encanação com o letreiro de Hollywood. Foi quando meu pai foi pro Japão, eu tinha uns 10 anos e o vôo dele fez escala em LA. Quando voltou pro Brasil, ele me mostrou a filmagenzinha que fez do letreiro pela janela do avião e ele falou disso tão empolgado que eu sabia que,aquilo era importante, apesar de não saber o que era. Foram 12 anos de expectativa para chegar em Los Angeles. Uma tentativa frustrada e, enfim, consegui. Esse foi um dos pontos altos da viagem, dos mais emocionantes, sem dúvida. Foi realizar um sonho, aquela coisa de &#8220;o que a Giovana de 10 anos ia achar disso?&#8221; Ela ia achar o máximo!

Passando pelas fotos da viagem, lembrei de quando começou essa minha encanação com o letreiro de Hollywood. Foi quando meu pai foi pro Japão, eu tinha uns 10 anos e o vôo dele fez escala em LA. Quando voltou pro Brasil, ele me mostrou a filmagenzinha que fez do letreiro pela janela do avião e ele falou disso tão empolgado que eu sabia que,aquilo era importante, apesar de não saber o que era. Foram 12 anos de expectativa para chegar em Los Angeles. Uma tentativa frustrada e, enfim, consegui. Esse foi um dos pontos altos da viagem, dos mais emocionantes, sem dúvida. Foi realizar um sonho, aquela coisa de “o que a Giovana de 10 anos ia achar disso?” Ela ia achar o máximo!

fuckyeahgiovana:

Me achei gatinha decotada magra na foto de biquini então vou postar mesmo, not giving a shit, keep calm and recalque on, to ney aí.

Pior que eu realmente acho que emagreci na viagem (nao tanto como parece nessa foto!), apesar de só comer ~besteira~.

fuckyeahgiovana:

Me achei gatinha decotada magra na foto de biquini então vou postar mesmo, not giving a shit, keep calm and recalque on, to ney aí.

Pior que eu realmente acho que emagreci na viagem (nao tanto como parece nessa foto!), apesar de só comer ~besteira~.

Hoje eu resolvi segurar o choro

Faz dois dias que eu tenho crises do nada e começo a chorar. Agora, estou de volta na minha primeira parada rumo aos EUA e me sinto tão diferente, mas nem tanto… Faz quase um mês e eu vivi tanta coisa que não achava que seria possível. Eu não achei que conseguiria, teve momentos em que eu realmente quis sentar,na sarjeta e chorar enquanto pensava no que eu estava pensando quando me propus isso… Alguém me perguntou, durante a viagem, se eu estava fugindo de alguma coisa. Eu disse que não, mas eu acho que estava sim. Mais ou menos; eu estava confusa com tudo, sem um puto no bolso, sem nenhuma perspectiva, vivendo por viver, pela cerveja do sábado à noite que às vezes nao vinha, pelo whatsapp que às vezes ninguém respondia, pelos quilos que eu devia perder e por toda a gordura que poderia preencher isso tudo. Eu precisei ficar um mês longe de tudo pra descobrir que a única coisa que eu preciso é de mim mesma, porque eu fui a única certeza que eu tive durante esses 28 dias. Eu tive medo, me senti insegura, me ferrei uma, duas, mil vezes, mas eu me virei com tudo. Fui perseguida em ruas desertas, me perdi em cidades desconhecidas, fiquei sem um puto no bolso, me senti sozinha, muito sozinha, senti muita saudade, pensei em ligar, em pegar o proximo vôo de volta, mas isso tudo só me traria de volta para o lugar de onde eu estava fugindo. Eu estava fugindo de mim mesma, da mnha vida. Mas eu também me diverti muito, me esforcei muito, criei bolhas nos pés, dei muita risada, conversei com moradores de rua e com estudantes de intercâmbio, fiquei puta da vida comigo mesma e me empurrei pra fora da minha zona de conforto. Vivi minha viagem como eu quis. Eu não fiquei maluca em Las Vegas, mas fiquei em NY. Não me apaixonei em San Francisco, mas me apaixonei em Las Vegas… Mentira, me apaixonei em SF também… E em NY. Talvez em Los Angeles, não tenho certeza… Não fui contagiada por Los Angeles, mas chorei de saudade no pier de Santa Monica porque não queria estar sozinha lá. Tudo aconteceu não como eu planejei, mas como eu quis, e era isso que eu, no fundo, buscava. Agora, em 24h, volto pra minha vida. Preciso terminar o TCC, pagar minhas contaa, ouvir bronca dos meus pais porque eu gasto muito dinheiro, minha mãe vai dizer que eu engordei e todo mundo vai achar que eu estou chorando de saudade, mas é de medo de me perder em mim de novo. Só que agora eu sei o que me faz bem, o que e quem eu preciso pra ser feliz, e não faz sentido se afastar da sua felicidade, se forçar a ser infeliz. Vou voltar pronta pra viver mais ainda, a fazer cada cerveja de sábado à noite acontecer, cada mensagem não respondida no whatsapp ser a última, vou preencher o que tem de vazio em mim com o que eu amo, e não só com gordura trans (“não só”). E eu vou voltar. E, quando eu voltar, não volto, nunca mais. Porque, talvez, eu não consiga mais ser tão feliz no Brasil. Hoje eu segurei o choro, mas já vou chorar de novo porque eu também aprendi a chorar e isso me fez uma pessoa melhor.

Esqueci de comentar essa

Então, eu conheci um cara superlegal em Vegas e a gente ficou algumas vezes e tal. Ele é aquele tipo de cara que você quer conhecer a fundo, sabe? Talvez por ser americano e tal, a gente era meio diferente, mas diferente bom, sabe? Enfim. Ele é bem gatinho e legal e, well, why not? No fim, acabou sendo realmente legal ter ele por perto por alguns dias. No meu último dia lá, fui no Grand Canyon e depois no Stratosphere. No Stratosphere, conheci um cara que tinha acabado de ficar noivo… No Grand Canyon. Sabe como é. Deus, sempre sendo filho da putinha comigo. Tipo “olha só, as pessoas ficando noivas no mesmo lugar que você passou a tarde… E você conheceu um cara tao legal esses dias, pena que você não tem 60 dólares pra casar com ele aqui do outro lado da rua… Mas, olha, até é bom, porque voce provavelmente nunca mais vai vê-lo de novo”. Mas, olha, se vocês forem viajar sozinhos e tal, arrumem um affairzinho tambem porque é legal passar o dia fora e ter alguem esperando pra te ver e perguntar como foi seu dia! E se ele trabalhar no hostel é melhor ainda, porque você pode perder a chave do quarto, arrumar uma reserva e não ser cobrada por isso LOL

To viajando há tanto tempo e tem sido tão bom e to me sentindo tão em casa nos EUA que é como se eu estivesse indo pro Brasil visitar meus pais e voltasse em uma semana.
:((
Preview das mil fotos sensacionais no Grand Canyon!
Ontem foi um dos dias mais divertidos da minha vida. Fui com a minha BFF da Áustria, a Ulli, no Grand Canyon e putaqueopariu ainda bem que não fui sozinha, porque foi FODA! A gente escalou pedras, brincou com esquilinhos, ficou sentada na beirada das pedras com os pés balançando no nada&#8230; Mega cansativo, mas muito legal, e eu nao teria tido coragem de fazer isso sem ela lá! Quer dizer, vai que eu morro, alguém tem que pelo menos saber meu nome e falar pra minha mãe o que aconteceu.
Depois disso, aproveitamos os 5 dolares off em todos os brinquedos do Stratosphere, pra ir quantas vezes quiser! Ficou por 29 dolares e a gente foi umas 3x no big shot (que é tipo o elevador do Hopi Hari #medo #tensão #112andaresdequeda) e no x-scream, que é tipo uma montanha russa que vai pra fora da torre. Tem video no youtube e, olha, não é tão ruim quanto parece&#8230; Mas deu pra sair deformada em todas as fotos.
Voltamos pro hostel lá pra uma da manhã e eu até considerei mudar meu voo porque isso iria deixar minha mãe puta da vida (e eu não fiz pole dance, não casei, não fiz tattoo ou piercing no mamilo, ou seja, não dei motivos pra ela ficar puta!) e, claro, eu muito feliz. Mas, depois desse dia, nao tinha como ficar melhor e eu achei melhor encerrar a viagem. Apesar de hoje ter passeio de limo no hostel e tal massss you can&#8217;t have it all! Or can you?
Enfim, agora já foi, mas, caralho, eu juro que vai ter mais. Vou todo ano pra Vegas, cada ano com uma companhia diferente.
O proximo é com as meninas da rep, como eu disse. AGOARDEM

Preview das mil fotos sensacionais no Grand Canyon!
Ontem foi um dos dias mais divertidos da minha vida. Fui com a minha BFF da Áustria, a Ulli, no Grand Canyon e putaqueopariu ainda bem que não fui sozinha, porque foi FODA! A gente escalou pedras, brincou com esquilinhos, ficou sentada na beirada das pedras com os pés balançando no nada… Mega cansativo, mas muito legal, e eu nao teria tido coragem de fazer isso sem ela lá! Quer dizer, vai que eu morro, alguém tem que pelo menos saber meu nome e falar pra minha mãe o que aconteceu.
Depois disso, aproveitamos os 5 dolares off em todos os brinquedos do Stratosphere, pra ir quantas vezes quiser! Ficou por 29 dolares e a gente foi umas 3x no big shot (que é tipo o elevador do Hopi Hari #medo #tensão #112andaresdequeda) e no x-scream, que é tipo uma montanha russa que vai pra fora da torre. Tem video no youtube e, olha, não é tão ruim quanto parece… Mas deu pra sair deformada em todas as fotos.
Voltamos pro hostel lá pra uma da manhã e eu até considerei mudar meu voo porque isso iria deixar minha mãe puta da vida (e eu não fiz pole dance, não casei, não fiz tattoo ou piercing no mamilo, ou seja, não dei motivos pra ela ficar puta!) e, claro, eu muito feliz. Mas, depois desse dia, nao tinha como ficar melhor e eu achei melhor encerrar a viagem. Apesar de hoje ter passeio de limo no hostel e tal massss you can’t have it all! Or can you?
Enfim, agora já foi, mas, caralho, eu juro que vai ter mais. Vou todo ano pra Vegas, cada ano com uma companhia diferente.
O proximo é com as meninas da rep, como eu disse. AGOARDEM

Las Vegas foi tão boa comigo que eu tô chateada de ir embora sem retribuir. Tudo que aconteceu comigo aqui foi perfeito. Arrisco dizer que foi melhor que NY. E, com certeza, vou voltar -e vai ser logo, porque eu fiquei quase uma semana e não vi quase nada. Nem “the sign” eu vi, só do avião. Mas eu vi e passei por muito mais coisa do que tirar foto por ai. Alias, eu mal tirei fotos aqui, acho que isso prova que, de fato, muita coisa aconteceu. Esta noite eu dormi uma hora e pouco, só. Não conseguia pegar no sono, chorei um monte e to surpresa de não estar com os olhos inchados agora, porque foi foda. Ainda tá sendo. Vou sentir muita falta disso tudo - mas isso é assunto para o próximo post! A foto é de um dos por-do-sóis (essa palavra existe??) mais lindos que eu já vi, e todos foram em Nevada. Las Vegas tem poucos prédios, nenhuma nuvem no céu e o hostel ficava meio afastado dos cassinos e luzes da Strip, então todos os dias era um espetáculo olhar para o céu lá pras 7 e meia da noite. Obs: a Delta tem wifi, mas custa 7 dolares e eu não vou pagar isso pra usar wifi NEM-FO-DEN-DO. Só eu acho absurdo wifi pago?? Wifi com,senha??? Estamos em 2012, todo mundo tem sua própria conexão hoje… #freewifi! Obs 2: mas eu paguei no fim pq a viagem é longa, tem 2 crianças atrás de mim e com certeza alguém vai roncar.

Las Vegas foi tão boa comigo que eu tô chateada de ir embora sem retribuir. Tudo que aconteceu comigo aqui foi perfeito. Arrisco dizer que foi melhor que NY. E, com certeza, vou voltar -e vai ser logo, porque eu fiquei quase uma semana e não vi quase nada. Nem “the sign” eu vi, só do avião. Mas eu vi e passei por muito mais coisa do que tirar foto por ai. Alias, eu mal tirei fotos aqui, acho que isso prova que, de fato, muita coisa aconteceu. Esta noite eu dormi uma hora e pouco, só. Não conseguia pegar no sono, chorei um monte e to surpresa de não estar com os olhos inchados agora, porque foi foda. Ainda tá sendo. Vou sentir muita falta disso tudo - mas isso é assunto para o próximo post! A foto é de um dos por-do-sóis (essa palavra existe??) mais lindos que eu já vi, e todos foram em Nevada. Las Vegas tem poucos prédios, nenhuma nuvem no céu e o hostel ficava meio afastado dos cassinos e luzes da Strip, então todos os dias era um espetáculo olhar para o céu lá pras 7 e meia da noite. Obs: a Delta tem wifi, mas custa 7 dolares e eu não vou pagar isso pra usar wifi NEM-FO-DEN-DO. Só eu acho absurdo wifi pago?? Wifi com,senha??? Estamos em 2012, todo mundo tem sua própria conexão hoje… #freewifi! Obs 2: mas eu paguei no fim pq a viagem é longa, tem 2 crianças atrás de mim e com certeza alguém vai roncar.

#chatiadissima

Hoje é meu último dia em Las Vegas e eu to chatiadissima de ir embora - sério, tipo, considerando no-show e arrumar outra passagem (obrigasa Thales pela ajuda nisso). Ainda não fiz metade das coisas que queria, toda hora surge algo novo, tudo é lindo e, gente, eu nem casei nem fiz pole dance ainda!! Eu não posso ir embora!! Nova York vai ter que ir mais pro cantinho porque Las Vegas já tá no meu <3 e nos meus próximos destinos.

Olha que cidade incrível: as piscinas de alguna hoteis sao abertas ao público, nao exclusivas para hóspedes! Essa, onde estou neste instante, é a do Caesars Palace. Parece que a do Stratosphere tambem é, talvez eu vá lá mais tarde. Las Vegas me dá MUITA saudade da minha rep em Bauru (chamava Las Vegas) e é impossível não imaginar como seria aqui com as minhas amigas. A Gringa ia chegar toda perua-hippie, com um chapeu de palha imenso e uma bolsa gigante. A Coca ia chegar de calça jeans e camiseta e se pa nao ia tirar #vacasimprona. A Oveia ia estar toda magra e linda soltando alguma perola, a Ju ia estar tentando arrastar todo mundo pra piscina e eu estaria tentando arrastar todo mundo pro bar. Claro, todas rindo muito alto, falando muito alto e incomodando todo mundo. Brasileiras, né! 5 anos da rep Las Vegas, comemorações em Las Vegas PFVRRRR!!!

Olha que cidade incrível: as piscinas de alguna hoteis sao abertas ao público, nao exclusivas para hóspedes! Essa, onde estou neste instante, é a do Caesars Palace. Parece que a do Stratosphere tambem é, talvez eu vá lá mais tarde. Las Vegas me dá MUITA saudade da minha rep em Bauru (chamava Las Vegas) e é impossível não imaginar como seria aqui com as minhas amigas. A Gringa ia chegar toda perua-hippie, com um chapeu de palha imenso e uma bolsa gigante. A Coca ia chegar de calça jeans e camiseta e se pa nao ia tirar #vacasimprona. A Oveia ia estar toda magra e linda soltando alguma perola, a Ju ia estar tentando arrastar todo mundo pra piscina e eu estaria tentando arrastar todo mundo pro bar. Claro, todas rindo muito alto, falando muito alto e incomodando todo mundo. Brasileiras, né! 5 anos da rep Las Vegas, comemorações em Las Vegas PFVRRRR!!!